Crianças – A Igreja de Hoje, ou de Amanhã?

Muitas vezes ouvimos pessoas dizerem:

“Nossos filhos são a igreja de amanhã!”

Não; não são, não.

São a igreja de hoje!

Ser membro do corpo de Jesus não é determinado pela idade, e, sim, pelo nosso relacionamento com ele. Quando pensamos nas crianças e adolescentes em termos da igreja do futuro, tudo que fizermos será em termos de prepará-las para o futuro, quando já serão suficientemente adultas para cultuarem, orarem e testemunharem de verdade. As classes de escola dominical não passarão de uma horinha de brincar, sob a supervisão de alguém; depois, virá uma sucessão de festinhas e organizações com a finalidade de “segurá-las” na igreja, para que não vão “para o mundo”. Mas se elas forem consideradas a igreja de hoje, terão permissão para participar dos trabalhos da igreja. Então as classes de escola dominical serão verdadeiros momentos de culto, quando pequenos de quatro anos estarão orando uns pelos outros e adorando ao Senhor, e os juniores não serão mais meros espectadores que devemos entreter, mas cristãos em desenvolvimento, estudando juntos a Palavra de Deus, falando de suas dificuldades uns aos outros, louvando a Deus e dando testemunhos. Não será um departamento bonito, proporcionando festinhas e divertimentos aos adolescentes, que os irá “segurar” na igreja, mas, sim, uma verdadeira entrega pessoal a Jesus Cristo e a seu Corpo. Eles irão à igreja porque o culto é uma bênção para eles, e não porque o líder da mocidade arranja programas interessantes.

Eis aqui o que o Novo Testamento diz acerca dos jovens e crianças:

“Nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão sonhos. Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão.” (At 2.17,18.)

E é assim que o Espírito Santo poderá entrar na vida de seus filhos e filhas. Ele os capacitará, dando-lhes dons sobrenaturais.

Eles se tornarão ministros dinâmicos para o mundo, assim como pastores e mestres cheios do Espírito. Esse texto mostra que nós, a igreja dos últimos dias, deveríamos estar dando ao mundo crianças e adolecentes que sabem pôr-se de pé e profetizar. E isso não se dará enquanto os cristãos adultos tiverem a ideia de que os jovens são a igreja de amanhã. Jovens que poderiam profetizar, não o farão, se forem considerados jovens demais. Talvez tenha sido por isso mesmo que o apóstolo Paulo precisou confirmar Timóteo. Disse ele: Timóteo, “ninguém o despreze pelo fato de você ser jovem, mas seja um exemplo para os fiéis” (1 Tm 4.12.) Está claro, portanto, que isso é possível, mesmo em meio às crises da puberdade, às espinhas e problemas da escola, senão a Palavra de Deus não iria incentivar isso.

A igreja primitiva era composta de pessoas de todas as idades. Alguns dos líderes mais corajosos eram jovens, muitos provavelmente ainda na adolescência. E esses jovens tinham a mesma maturidade dos moços de hoje. A igreja primitiva estava ganhando os jovens porque estava pregando o evangelho ao povo. As crianças e adolescentes também fazem parte do povo. E quando o Espírito Santo conferiu poder à mensagem, seguindo-a com sinais e milagres, o povo aceitou a Jesus – gente grande e pequena, gregos e judeus, negros e brancos, crianças e adultos.

Às vezes fico admirada de ver como o Senhor opera em nosso grupo. Ele usa um universitário para ajudar uma senhora idosa, ou uma criancinha para ganhar um adolescente.

Certa vez, numa conferência para pastores, conversei com um rapaz que estava sendo muito abençoado.

“Como você veio parar aqui?”

Wendell contou-me que conhecera uma senhora de nome Emma, perto do local onde se realizava a conferência, e ficara tão impressionado com sua vida cristã e seu amor, que ele teve vontade de chegar até ali e conhecer outras pessoas iguais a ela. Ora, acontece que conheço Emma, e sei que ela tem mais de setenta anos. O Senhor a usara para falar a este jovem andarilho, que se encontrava acampado perto de onde estávamos. Ele aceitou Jesus, e, naquela semana, ele saía de sua barraca diariamente, e vinha montanha abaixo para cultuar a Deus e estudar a Bíblia conosco.

Uma classe de adolescentes da escola dominical de nossa igreja colocou na parede da sala uma faixa com os dizeres: “A Igreja: o Corpo de Cristo”. Nessa faixa havia gravuras de pessoas – casais jovens, velhos, garotinhas com maria-chiquinha, adolescentes de macacão jeans, avós e avôs. Uma igreja com um aspecto desses é uma coisa linda! E se ela for assim, isso é porque todas essas pessoas estão sendo abençoadas ali. Para se ter um Corpo assim, é preciso muito amor e tolerância para com o modo de vida, os gostos e a cultura de cada geração, e implica uma aceitação incondicional de cada irmão, ou irmã no Corpo, qualquer que seja sua idade.

Autor: Barbara Cook

Fonte: Como Criar Filhos Felizes e Obedientes